18.3.08

Some like it hot, outros não








It takes courage to enjoy it
the hardcore and the gentle
big time sensuality

(
Big Time Sensuality, Björk)


Sempre que virem um homem podre de bom a tirar a camisa num comercial e a fazer olhinhos de cama à câmara, podem estar certos que, 8 em cada 10 casos (e já estou a dar de barato…), há ali um queer eye matreiro e perverso a orquestrar tudo nos bastidores, oh se há. A receita é mais velha do que a Sé de Braga – e a Sé de Braga é antiga como o caraças -, mas ainda tem muito para bater, pois quem gosta de rapazes – sim, parece que as mulheres também não desgostam… - sempre se pelou e vai continuar a se pelar por uns belos peitorais ao léu – há maus hábitos que não mudam com o tempo, tendo em conta que muitos imperadores romanos, antes de Cristo descer à Terra, já suavam frio com os abdominais dos centuriões.

Antes de escarnecerem da minha bem sustentada lógica, experimentem só olhar com atenção para o mais recente anúncio do perfume The One for Men (ver aqui), estrelado pelo calmeirão Matthew McConaughey – nem sou grande fã de um tipo que faz gala em não usar desodorizante há mais de 20 anos (!), mas só o facto de o gajo ter trinta e quase todos e ainda ficar bem na fita, já é motivo para todos os trintões, eu incluído, lhe ficarmos gratos -, e digam lá se não tenho razão.

De uma assentada só, o duo Dolce & Gabbana piscou o olho às mulheres e aos gays, ou não fossem estes os alvos preferenciais quando se trata de vender um perfume masculino. E de que gostam as mulheres e os gays? De homens que lhes encham as medidas, pois então. Foi essa mesma lógica que levou à escolha certeira do modelo britânico David Gandy, mas capaz de meter no chinelo muito latin lover legítimo, para dar corpo – literalmente falando – à fragrância masculina mais estival da marca, o Light Blue.

Curiosamente, se as campanhas publicitárias de Dolce & Gabbana não me passam ao lado, o mesmo já não posso dizer dos seus perfumes. Sei lá, deve ser uma coisa de pele. Agora não dispenso um bom perfume – e escusam de me vir com aquela lenga-lenga da treta de que o cheiro natural de cada um é mais do que suficiente…

Gosto de perfumes e não se fala mais nisto. E não é de hoje. Comecei a usá-los ainda adolescente imberbe e sem ter muita noção do seu poder. Sim, porque umas gotas do perfume certo no momento certo – tal como uma peça de roupa, nem todos os perfumes nos assentam bem, há que testar primeiro a sua química com a nossa pele, da mesma forma que o mesmo perfume não vai bem em todas as ocasiões – não garantem o milagre, mas podem apressar a revelação.

Há quem seja fiel ao mesmo perfume a vida toda. Não eu. Até há aqueles a que, mais tarde ou mais cedo, eu volto sempre – como é o caso do Egöiste, pela Chanel, um perfume poderoso que vai muito bem com uma camisa preta -, mas preciso sentir que sou livre para experimentar coisas novas – ainda me lembro da primeira vez que usei um perfume da Carolina Herrera; não descansei enquanto não descobri o seu nome depois de me ter inebriado com ele em pescoço alheio (o pescoço per si, e o dono do pescoço, era-me indiferente, eu queria mesmo era a senha para a gruta de Ali Babá). Agora estou a usar Prada de dia e Narciso Rodriguez à noite. Mas se tivesse de escolher um perfume só pela embalagem e não pelo conteúdo, não pensaria duas vezes em deitar a mão ao parrudo do Fuel For Life by Diesel – tanto que o rapaz é repetente aqui no blogue, honra rara. Coisa fina é também o Wood dos manos canadianos da Dsquared, com direito a um homem-propaganda-com-olhos-de-cachorro-abandonado a quem dá vontade de dar casa, cama e roupa lavada.

Agrada-me a ideia de tomar banho e, ainda de pele húmida, borrifar a nuca ao de leve e deixar escorrer um fio pela linha do umbigo antes de me vestir. Gosto que o meu perfume me anuncie sorrateiramente – nada pior do que alguém que exagera na dose – ainda antes de eu chegar perto. Como gosto também que ele perdure como uma memória olfactiva, quando já me fui, entranhado na fronha de uma almofada ou emaranhado nas mangas de uma camisa por onde me demorei.

12 comentários:

Mikael disse...

Publicidades à parte, de facto existem uns quantos perfumes dos quais sou fã. Não sou de ter muitos perfumes ao mesmo tempo e sou mais ou menos fiel entre 3 ou 4 que vou rodando, mas de vez em quando lá cometo uma loucura e compro um outro.
Regra geral em tempos/dias/horas/estações quentes uso perfumes à base de citrinos. Sou viciado no Crave do cK. Em oposição nos tempos/dias/horas/estações frias gosto de perfumes "encorpados", com cheiros quentes, mas sem serem demasiado fortes e lá tenho que destacar o Chic da Carolina Herrera. Um dia ainda arrisco e uso o Le Male, que apesar de achar demasiado forte adoro o cheiro. É dos perfumes que me faz desviar o olhar e procurar a pessoa que o usa :P

Abraço

ps-espero que a viagem de negócios tenha corrido bem :)

Einstein Halking disse...

Independente da publicidade, eu uso este: http://br.youtube.com/watch?v=uDU_P2NYqZo&feature=related

Abraços.

pinguim disse...

Tens bons gostos: em homens e perfumes(como usá-los)...
Abraço.

papagueno disse...

Aconselhas algum? Perfume, claro! ;)
Um abraço.

Mans disse...

matthew é sempre bom
sujo, fedido ou assim vestido
hehehehe

e viva a fórmula!

Megafashionist disse...

Publicidade de perfume é a melhor que tem... adoro!

Anónimo disse...

Posso ficar com os dois Dolce & Gabbana? Entre o latino/bomba sexual e o sofisticado/irresistível a decisão (se pudesse existir, oh ambição desmedida) afigura-se deveras difícil. Venha Deus e escolha... conseguiria? (com isto não quero dizer que Deus seja gay... salvo seja!).

Parabéns pelo blog. Nunca deixei nenhum comment mas sou um leitor atento e apreciador da inteligência dos textos. Argutos e com espessura!

CL

Latinha disse...

Como sempre eu vou "por outro caminho" ;-).

Melhor do que escolher o perfume certo, é senti-lo... naquela peça de roupa "esquecida", ou senti-lo de repente, carregado por uma brisa...

Um bom perfume realmente pode abrir as portas para as cavernas do ali Babá!!! como disse você... ehehe

Abração!!!

Râzi disse...

Pára tudo!!!

O que exatamento o senhor, muito assanhado, estava pretendendo com aquele último parágrafo do post???

Está querendo enfartar as pobres irmãs necessitadas????

Está querendo que elas se tranquem no banheiro e prestes ininterrúptas homenagens ao senhor??

HJAuahauhuahauhauahau!

Abusado!

Beijão!

Goiano disse...

que publicidade que o que???

eu quero é o seu cheiro apos o banho e com borrifadas nao sei onde!
hahaha estou em estado de choqeu !

Kokas disse...

lol
Ando traumatizado. Nada pior que depois d euma reunião com o chefe, ele dizer: "Epah, tens o perfume no Henrique Granadeiro"

:P

SUPER disse...

Eu sou fã dos produtos da Paco Rabanne