22.9.08

It's on the house


Got no boundaries and no limits
If there's excitement, put me in it
If it's against the law, arrest me
If you can handle it, undress me

(Give It 2 Me, Madonna)


Não há mal [nem neura] que dure muito por estes lados. Na manhã seguinte ao post anterior já o meu safe mode estava activado, pelo que senti um leve embaraço ao reler certas passagens... Bom sinal, pensei, mas não retoquei uma vírgula que fosse. Arrependo-me, talvez, de algumas coisas que fiz (de outras tantas que deixei de fazer, também), mas não do que (e como) escrevi. Foi um momento catártico [o meu momento catártico] e como tal não totalmente isento de exagero. Mas até isso, no devido contexto, eu encaro como parte do processo de desintoxicação. Entendo sem culpa que estou sujeito a fraquejar de quando em vez, mas enxoto com veemência a auto-comiseração. Carpir mágoas e acusar o universo de estar a conspirar contra mim não faz parte do meu repertório, por isso mesmo, logo que pude, lambi as feridas, arejei as ideias e retomei a vida. Só não me apressei, como tinha prometido, a colar os cacos - juntei-os, para não me estorvarem, e tenho estado a olhar para eles, indeciso entre voltar à forma antiga ou arriscar um novo formato...
Expiada a crise existencial, devo dizer-vos que a minha semana não correu nada mal: não deixei de ir suar as estopinhas no ginásio (aproveitei até o facto de ter um cartão de membro que me permite mudar de pouso para ir "lavar a vista" fora dos domínios usuais, mas isso é assunto, quem sabe, para outro post), comecei um novo curso, estou a organizar mais uma viagem de trabalho, almocei a meio da semana com vista para o rio, reservei parte de uma noite para rever Breakfast at Tiffany's e recebi mimo de vários amigos, o que, além de me aconchegar, ajudou a sossegar o ego fragilizado.
Sexta à noite, reencontrei o Will. Pois o Will, tão despachado que me chega a deixar cansado só de ler tudo o que é capaz de fazer num único dia, passou o Verão em estado de graça. Está apaixonado e não o esconde de quem se quiser dar ao trabalho de reparar. Cumprida a habitual ronda de má-língua, emendámos a happy hour com o jantar, o que permitiu ao F. se juntar a nós. Foi um serão agradável, ainda mais porque era suporto irmos à abertura do Queer Festival. Conversa vai, conversa vem, o certo é que perdemos a hora e tivemos de escolher, à pressa e ali mesmo, um filme qualquer para ver... O Will, que não é nada distraído, bateu os olhos nos dois rapazes em cuecas do cartaz, ponderou as implicações do título Gomorra e deve ter pensado "Se Maomé não vai à montanha, a montanha vem a Maomé". Eu que já tinha lido a sinopse - e sabia por isso tratar-se de um retrato a sangue-frio, muito cru, das máfias que controlam Nápoles, no sul de Itália - percebi logo que não íamos ter sorte nenhuma, mas deixei que fossemos ao engano. No final, acabei por me prender à estória, mas era notório o ar francamente desapontado de outros rapazes à saída... Hummm, aposto, só por vergonha alguns deles não foram dar queixa por publicidade enganosa [e o mesmo deve estar a pensar quem viu a foto de abertura deste post - by the way, se alguém conhecer o paradeiro do rapaz tatuado na coxa, faça-me a fineza de lhe comunicar que dou tecto, cama, roupa lavada, férias e décimo terceiro - e se deu ao trabalho de ler até ao final! Quem manda...]

6 comentários:

Will disse...

Opá!

Eu continuo a achar que aquele cartaz é um chamariz indecente, eheh!

Mas valeu a pena: o filme é bom. Cru, mas real!

Quanto ao resto, escusado será dizer que adorei o final de tarde e o jantar e que é algo a repetir... com ou sem cinema!

Sim, que eu sou o gajo que faz um milhão de coisas no mesmo dia :P

Edu disse...

O talzinho ai é o meu vizinho, aquele que ficou de olho na gente na kingkama, lembra? Pois... :-)

Râzi disse...

Meu amor, que bom saber que as coisas estão melhorando (como se fosse por aqui que eu tenho notícias suas! hauhauahauhauh)

E quer dizer que tem um filme de máfia com dois sungados no cartaz???

jhaahauahauahauahauhah!

Menino!!! Tenho um amigo que é a cara do garoto da tatuagem!!! Que tal???

Beijão!

SAM disse...

auhauhahuhahuahu

Adorei o lance do cinema!

Pois é meu caro,as vezes a propaganda é enganosa!

hehe

Eu também vivo tentando voltar num formato novo, mas nem sempre consigo!

Abração!

:D

pinguim disse...

Depois de um saudável momento catártico, nada como um bom jantar com um amigo de sempre e uma visão de "dois anjos", mas com sexo...
Abraço.

confissoesaesmo disse...

É assim mesmo.
Um dia depois do outro.
Clichê, né?
Mas tão verdadeiro.