10.9.08

On


Sometimes, when I look deep in your eyes, I swear I can see your soul
(Sometimes, James)


Encontro marcado na Maria Caxuxa. Já vou um pouco atrasado, mas, de nada me adianta apressar o passo, pois fico retido no mar de gente que se espraia entre o Clube da Esquina, na rua da Barroca, e o Portas Largas, já na Atalaia. Decididamente, a rapaziada tomou conta do lugar e, a cada semana, vai um pouco mais além na demarcação invisível da "coutada de caça" a céu aberto. Nada de muito explícito, ou escrachado, mas suficientemente claro para não "levar gato por lebre" ― if you know what I mean... É a Lisboa gay no seu melhor.

Estão de tal forma entretidos uns com os outros que, para abrir caminho, quase sou obrigado a dar braçadas… No auge do aperto, vem-me à cabeça “Well the men come in these places / And the men are all the same / You don`t look at their faces / And you don`t ask their names”. Não seria o caso de perguntar nomes, mas, admito, ao fintar um ou outro de mais perto, bem que me apeteceu anotar uns quantos números de telefone… Deixa quieto. A calçada frente à Maria Caxuxa está, ligeiramente, mais desafogada. Os meus amigos lá estão, de copo na mão e sorriso escancarado.

Dali vamos para o Majong, na rua de cima, que, a partir das duas, começa a encher graças ao DJ de serviço. O Majong, já o disse aqui, não tem grandes segredos para mim ― há anos que o frequento. Uma das minhas amigas ficou de encontrar ali o Jose, um espanhol que vive e trabalha há muito anos em Lisboa. Jose é uma figura. Já fala fluentemente português e incorporou a nossa gíria, mas não perdeu ― nem há-de perder ― o seu forte sotaque castelhano. Da primeira vez que o vi, de raspão e neste mesmo bar, fiquei com a séria impressão de que o rapaz pertencia ao “clube da esquina”. De toda a forma, nunca me fio muito no meu gaydar. Desta vez, porém, reparei nos anéis e nas pulseiras e pensei com os meus botões: hummmmmm…. Mas ele não dá “pinta”. Passado mais um bocado, um outro amigo da minha amiga puxa de uma canga trazida da Tailândia, que o Jose terá supostamente pedido, e o rapaz, radiante, pergunta-nos: “não fico muito ‘bichona’?” Hummmmmmmmmmm…

A confirmação chega quando já não me restavam mais dúvidas. Ao falar-se de orkut, de hi5 e afins, Jose torce o nariz e diz que prefere logo ir directo aos “lugares da Net que têm mais a ver com a minha [sua] espécie”. Bingo! A partir dai, o agent provocateur fica em modo on. Interrogo-me se a recíproca é verdadeira e também ele accionou o seu gaydar… A noite (pros)segue sem sobressaltos. Na hora da despedida, que Jose não está para chegar de novo a casa de manhã, estende-me a mão e solta: “gostei de te conhecer rapaz!”. Permitimo-nos, por breves momentos, um olhar a direito. O último teaser da noite em jeito de “às vezes, quando ficamos olho no olho, juro, sou até capaz de ter ver (d)o avesso”.

13 comentários:

Marco disse...

UAU!

Precisa de mais "tease" que isso?
Ou sejá que a sequência está mais para "XXX"?

Hehehe!

Te todo modo, mais instigante e ficar a imaginar o epílogo e a torcer por um final feliz.

Abs.

Paulo disse...

excelente, excelente! deu até para rir: como o olhar abre portas para um mundo imenso, hein! normalmente, não aguento olhares a direito, desses que te abrem para olharem por dentro, mas estiveste muito bem!


abraço

Ludo disse...

huuummmmm.... sei bem onde estas histórias costumam dar... hahahah

Mas, conte-nos... José instigou apenas pelas provocações, ou tem charme suficiente para arrastá-lo para a tal calçada???? rsss

Saudades, meu caro!

Bjão!!!

AH! SE JOGA!
rss

Râzi disse...

Olha, olha, olha!!!

Quanto progresso meu padeiro do coração, mui amado, está fazendo!!!

Mas ainda lhe falta a sagacidade de criar oportunidades!!!

Não podes deixá-las a cargo da sorte, que essa é safada e matreira!!!! ahuahauhuhauahau!

Beijão, meu amor! Estou torcendo pra que José também venha a se tornar, em casal, padrinho de Joaquim! :D

Ahauahauhuahuahau!

pinguim disse...

É um bom começo, "quase" desinteressado...
Abraço.

Special K disse...

Eu que sou tímido, gosto destas provocações.
Um abraço

euzinho disse...

Hhhhhhuuuuummmmm....como é bom uma boa provocaçãozita...tudo fica mais fácil a partir daí...eheheh!!!

Will disse...

Confesso que gostaria de ter o meu "gaydar" mais apurado... poupava-me a situações embaraçosas!

confissoesaesmo disse...

É bom quando esses 'encontros' acontecem, né?
E fiquei curioso com o desenrolar da história.
Abraço

Latinha disse...

E que comecem os jogos!!! ;-)
As vezes nada precisa acontecer para que tudo tenha acontecido... é sempre um jogo interessante e quando bem feito muito gostoso. Aproveita meu amigo... e em último caso, se precisares de uma "arma secreta", saiba que posso "exportar" um pouco daquela iguaria italiana tão famosa (eheh)

Então... "meu dia!", mas do que receber os cumprimentos para mim é um dia de agradecer. E agradeço por ter pessoas como você por perto, por que mesmo com quilometros e fusos e tudo mais, a cada você me mostra que mesmo com a distância é possível estar perto! Obrigado! ;-)

Grande abraço meu amigo!

FOXX disse...

agent provocateur em modo on.? adorei kkkkkkkkkkkkk

"às vezes, quando ficamos olho no olho, juro, sou até capaz de ter ver (d)o avesso"
gostei disso tb

MrTBear disse...

Isto promete LOL
Fico à espera dos próximos capítulos...
Mas, é mesmo assim, entre o Portas Altas e a Maria Caxuxa, anda tudo de gaydar ligado.
EU gosto desse percurso .....

Tarco Rosa disse...

Olá, Oz, passando pra conferir teus últimos posts.
Um abraço